CNPL cobra melhorias para profissionais do SUS na 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde

Emissão de Guias

Clique para gerar a guia.Ir

Cursos e Eventos

 

Acesse nosso portal de eventos.ir

Artigos

 

Acessar artigos IR

Clipping

CNPL na mídiaIR

Smaller Default Larger

CNPL cobra melhorias para profissionais do SUS na 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde

A Secretária de Assuntos Legislativos da Confederação Nacional das Profissões Liberais – CNPL, Joana Batista Oliveira Lopes, participou nessa terça-feira, dia 27 de fevereiro, em Brasília/DF, da solenidade de abertura da 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde, realizada pelo Conselho Nacional de Saúde – CNS. A Secretária de Assuntos Legislativos, que também coordena a Comissão de Saúde da CNPL, defendeu a implantação do piso nacional para os trabalhadores do SUS e vigilância para os profissionais da saúde.

A normatização do Piso Salarial dos trabalhadores do SUS permitirá, explica Joana Batista Oliveira Lopes, prestar de forma digna, uma assistência aos trabalhadores que cuidam da saúde de toda a população brasileira que utiliza o SUS. “Buscamos a descentralização, pois temos consciência que os municípios não têm condições de pagar um piso descente para esses trabalhadores. Por isso, cabe à União, o financiamento desse piso salarial nacional, tendo em vista o não ferimento ao Pacto Federativo e à composição tripartite do SUS – governo, estado e União -, previsto na Lei Orgânica do SUS nº 8.142/1990, referendada na Lei Complementar 141 de 2012”, esclareceu.

Joana Batista Oliveira Lopes também fez duras críticas à Emenda Constitucional nº 95/2016, que estabelece teto para os gastos públicos da União por 20 anos. Segundo a Secretária de Assuntos Legislativos, a medida fragiliza ainda mais o Sistema Único de Saúde e representa prejuízos à população brasileira, sobretudo à população mais pobre. “É preciso fazer cumprir o direito constitucional à saúde pública e a integralidade de assistência, prevista no artigo 198, inciso II, da Constituição Federal, bem como estabelecido no princípio expresso no artigo 7º, inciso II, da Lei 8.080/90”.

Segundo Joana Batista Oliveira Lopes, o acesso à saúde e à educação como obrigação do Estado deve estar acima de quaisquer divergências político-ideológicas para a construção de uma sociedade mais justa e fraterna. Além disso, é importante ressaltar que o Conselho Nacional de Saúde estima que o congelamento de investimentos reduzirá em R$ 400 bilhões o orçamento da saúde durante o período de vigência da Emenda 95/2016.

A 1ª Conferência Nacional de Vigilância em Saúde “Vigilância em Saúde: Direito, Conquistas e Defesa de um SUS Público de Qualidade”, tem como objetivo a construção de uma Política Nacional de Vigilância em Saúde, a manutenção de direitos conquistados e a defesa de um SUS público e de qualidade para todos. O evento pretende reunir, até o dia 2 de março, mais de 2 mil pessoas de todos os estados do Brasil que participaram de de conferências municipais, estaduais, distritais, macrorregionais e plenárias ao longo de 2017. Entre os participantes, estão acadêmicos, especialistas, conselheiros de saúde, trabalhadores, usuários e gestores do Sistema Único de Saúde (SUS).

Pin It
porno
sohbet hatti

Acesso Rápido

sohbet numaralar
porno video

CNPL nas Redes Sociais

canli porno - sex - pornolar