Generic selectors
Somente termos específicos
Buscar em títulos
Buscar em conteúdo
Buscar em posts
Buscar em páginas

Brasileiro trabalha 29 dias por ano para pagar a conta da corrupção, diz instituto

Siga e curta a CNPL nas Redes Soiais :)

Facebook
Facebook
Twitter
Instagram

Outras notícias

...

OIT mantém Brasil em lista de países monitorados e pede dados sobre reforma trabalhista

Peritos pediram que governo mantenha diálogos com entidades e apresente números. Associação que reúne juízes brasileiros diz que reforma reduziu…

OIT reconhece a precarização nas relações de trabalho no Brasil

Desde o dia 10 de junho ocorre a 108ª Conferência da Organização Internacional do Trabalho, em Genebra (Suíça). Na manhã…

OIT inclui Brasil na lista de países suspeitos de violar direitos trabalhistas

A previsão de as negociações valerem mais que a legislação, os obstáculos para desconto em folha das contribuições sindicais e…

Justiça: Brasil entra na “Lista Suja” da OIT e governo terá que se explicar na Comissão de Normas da Organização Internacional do Trabalho

A comissão de normas da OIT manteve o Brasil na lista de 24 países que mais violam convenções internacionais do…

Estudo do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) indica que a corrupção consome 8% de tudo que é arrecadado no país; trabalho considerou desvios apurados pela Operação Lava Jato e processos em tribunais de contas.

Por Wilson Kirsche, RPC Curitiba

O brasileiro trabalha, em média, 29 dias por ano somente para pagar a conta da corrupção, de acordo com um estudo feito pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), divulgado nesta semana. Segundo a pesquisa, a corrupção consome 8% de tudo que é arrecadado no país – R$ 160 bilhões por ano.

Para chegar a essa conclusão, o instituto levou em conta os desvios apurados pela Operação Lava Jato e processos envolvendo corrupção no Tribunal de Contas da União (TCU) e nos tribunais de contas dos estados.

O valor, de acordo com o estudo, cobriria o rombo estimado para o orçamento do governo federal, que é de R$ 139 bilhões ou também poderia evitar, por exemplo, os contingenciamentos na educação (R$ 29 bilhões).

De acordo com o coordenador de estudos do IBPT, Gilberto Luiz do Amaral, a corrupção no país é uma epidemia e precisa ser combatida.

“É tão grande a corrupção que hoje nós temos mais de mil prefeitos ou ex-prefeitos que sofrem algum processo por corrupção, por mau uso de dinheiro público. Temos mais de 50 governadores ou ex-governadores que estão na mesma situação”, afirma.

Para a força-tarefa da Operação Lava Jato, apesar do número preocupar, a tendência é a de que a corrupção diminua daqui para frente.

“Nós descobrimos grandes casos de corrupção. A tendência agora é que eles sejam combatidos e haja uma diminuição dos casos. Hoje a sociedade está mais consciente de que este é um problema que precisa ser enfrentado”, avalia o procurador Júlio Noronha.

Fonte: G1

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial