Generic selectors
Somente termos específicos
Buscar em títulos
Buscar em conteúdo
Buscar em posts
Buscar em páginas

Equipe econômica estuda novo modelo de contrato de trabalho para estimular vagas de emprego

Siga e curta a CNPL nas Redes Soiais :)

Facebook
Facebook
Twitter
Instagram

Outras notícias

...

CNPL participa de XI Congresso Nacional Sindical dos Enfermeiros (Conse)

Nos dias 5 e 6 de novembro, representantes da CNPL participaram dos trabalhos realizados na décima primeira edição do Conse,…

Coordenador do FST apresenta cartilha digital do PL 5.552/19

Apresentação aconteceu em debate sobre a Reforma da Estrutura Sindical na CONTEC O coordenador nacional do Fórum Sindical dos Trabalhadores…

Desemprego fica em 11,8% em setembro e atinge 12,5 milhões, diz IBGE

Emprego sem carteira assinada e trabalho por conta própria seguem em patamar recorde. Desemprego segue persistente, e as vagas criadas…

Senado promove sessão especial para o Dia do Dentista Brasileiro

Na última semana, o presidente da CNPL Carlos Alberto Schmitt de Azevedo representou a presidente da Federação Nacional dos Odontologistas…

Por Andréia Sadi

A equipe econômica do governo avalia uma proposta que altera o modelo de contratos de trabalho para, por exemplo, pessoas que estão formalmente desempregadas há pelo menos dois anos, além de jovens de 16 a 24 anos.

As propostas estão sendo desenvolvidas no Ministério da Economia pelo secretário da Previdência e do Trabalho, Rogério Marinho, e ainda precisam ser avalizadas pelo ministro Paulo Guedes.

O objetivo do ministério é anunciar medidas para estimular a geração de empregos no país.

Segundo o blog apurou, a equipe de Guedes estuda reduzir o percentual pago pelo patrão na conta do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) do funcionário. Atualmente, o empregador deve depositar mensalmente 8% do valor do salário pago ao empregado na conta do FGTS.

Outra ideia é a redução da multa rescisória paga ao trabalhador em caso de demissão sem justa causa de 40% para 20%.

O funcionário contratado nesses moldes teria menos dinheiro depositado do FGTS mas, na argumentação do governo, a medida barateia a contratação de mão de obra, o que gera empregos ao estimular contratações.

O FGTS é um direito do trabalhador com carteira assinada e só pode ser sacado mediante condições específicas, como compra da casa própria ou na aposentadoria. Recentemente, o governo liberou duas modalidades de saque do FGTS (o saque imediato e o saque-aniversário) com o objetivo de aquecer a economia.

O pacote que mira a geração de empregos tem sido tratado como uma das prioridades de Guedes para as próximas semanas e, segundo integrantes da equipe econômica ouvidos pelo blog, pode ser anunciado no fim de outubro ou logo no início do próximo mês.

Fonte: G1

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial