Generic selectors
Somente termos específicos
Buscar em títulos
Buscar em conteúdo
Buscar em posts
Buscar em páginas

Nova lista suja do trabalho escravo traz 190 pessoas físicas e jurídicas

Siga e curta a CNPL nas Redes Soiais :)

Facebook
Facebook
Twitter
Instagram

Outras notícias

...

CNPL participa de XI Congresso Nacional Sindical dos Enfermeiros (Conse)

Nos dias 5 e 6 de novembro, representantes da CNPL participaram dos trabalhos realizados na décima primeira edição do Conse,…

Coordenador do FST apresenta cartilha digital do PL 5.552/19

Apresentação aconteceu em debate sobre a Reforma da Estrutura Sindical na CONTEC O coordenador nacional do Fórum Sindical dos Trabalhadores…

Desemprego fica em 11,8% em setembro e atinge 12,5 milhões, diz IBGE

Emprego sem carteira assinada e trabalho por conta própria seguem em patamar recorde. Desemprego segue persistente, e as vagas criadas…

Senado promove sessão especial para o Dia do Dentista Brasileiro

Na última semana, o presidente da CNPL Carlos Alberto Schmitt de Azevedo representou a presidente da Federação Nacional dos Odontologistas…

De responsabilidade do Governo Federal, publicação conta com 28 novos empregadores autuados por submeterem trabalhadores a esta condição

Brasília – Foi publicada na última quinta-feira, 3 de outubro, pelo Governo Federal, a atualização do Cadastro de Empregadores autuados por submeterem trabalhadores a condições análogas à escravidão. De responsabilidade da Secretaria Especial do Trabalho e da Previdência, ligada ao Ministério da Economia, a chamada Lista Suja do Trabalho Escravo conta agora com 190 empregadores e pode ser acessada aqui.

Na lista atual, foram incluídos 28 novos estabelecimentos distribuídos por 13 estados. Minas Gerais é o estado com maior número de novos empregadores, com o acréscimo de quatro estabelecimentos, todos produtores de carvão vegetal. Produtores de banana e de café também representam maioria entre os infratores mais recentes.

Para o vice-coordenador nacional de Erradicação do Trabalho Escravo (Conaete), o procurador do Ministério Público do Trabalho Italvar Filipe de Paiva Medina, a lista é uma das mais importantes conquistas do estado brasileiro no combate e na prevenção do trabalho escravo.

“Ela também é um importante instrumento para a promoção do consumo consciente e sustentável, uma vez que está disponível para consulta por qualquer cidadão, que pode ter ciência de quais são os empregadores que exploram o trabalho escravo no país”, explica Italvar Filipe.

A publicação deve ser atualizada a cada semestre, conforme previsto na Portaria Interministerial nº 4 de 11 de maio de 2016, do Governo Federal.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial